Performance do encontro das águas e de transformação. Parte de #LiveLivingPerformanceProject.

A performer Carolina Berger cria o heterônimo literário Madame C.Bécamier e a personagem alterego Lícia D.B. para celebrar um ritual multimídia sobre falar de amor, o poder e liberdade.

Com energia criada a partir de uma homenagem às mitológicas divindades da religiosidade afrobrasileira Oxum e Iemanjá, a tríade feminina faz vibrar o universo das águas profundas e vastas das voluptuosas cachoeiras para combater toda forma de preconceito, agressão e padronização da feminilidade.

Depois de muita estrada, costeando orlas de várias partes do mundo, Lícia protagoniza um respeitoso ritual à infindável libido pelo viver.

Com leveza e certas da impermanência dos momentos da vida, elas proclamam:

a performance é uma celebração do afeto coletivo, pela libertação dos limites do ego!

 

 

Ficha técnica:

Concepção e performance: Carolina Berger

Pós-Produção: Óskar García

Direção de arte e cenografia: Laura Carvalho

Trilha: Módulo Lunar

Pesquisa e imagens: Carolina Berger

Produção: Laura Carvalho

Financiamento: FAPESP

Apoio: LAICA/ECA/USP

 

Projeto em desenvolvimento em pesquisa de tese de doutorado sobre performance multimídia no Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais | ECA | Universidade de São Paulo.


Apresentações:

2013

Núcleo de Pensamento e Práticas em tempo real | Epicentro Cultural | São Paulo | SP

2014

Noites de Performance | Associação Brasil Performance | Instituto Volusiano | São Paulo | SP

Cineme-se | Bienal Transmídia da Experiência do Cinema | Santos | SP

Prêmio Curta-se Live Cinema | Aracaju | SE

 



EXIBIR COMENTÁRIOS +

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será exibido publicamente
Campos obrigatórios são marcados *

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todos os comentários do site são moderados e aprovados previamente.