O que o corpo percorre, o tempo transforma em uma espaço em metamorfose. Escultura Etérea é uma experiência do AGORA sobre o corpo que se joga em dança e imensidão. Mover-se na impermanência do deserto é deixar-se esculpir pela fluência das camadas de matéria no tempo.

Esculpir a duna com o corpo é moldar-se em um corpo dilatado, composto das mesmas substâncias que a natureza de seu peso e risco constantes.

 

Ficha técnica: Concepção e performance: Carolina Berger

Trilha e desenho sonoro: Ronaldo Palma

Direção de fotografia e câmera: Carolina Berger

Preparação corporal: Evelin Bandeira (SP) e Felipe Santi Conteratto (Florianópolis)

Escultura Etérea é parte da exposição Ethereum Útero, desenvolvida na Residência Artística Osítio, com curadoria de João Aires – abril 2019 As obras do projeto são parte de projeto de pesquisa de pós-doutorado em artes da performance _ #DigitalSelfPersenceLab: laboratório de poéticas em corpo e tecnologia, realizada no Departamento de Artes Cênicas, ECA – Universidade de São Paulo.  Apoio: LabArteMídia (ECA-USP)



EXIBIR COMENTÁRIOS +

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será exibido publicamente
Campos obrigatórios são marcados *

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todos os comentários do site são moderados e aprovados previamente.